Majestoso Falafel

O Falafel é o prato elaborado mais popular do Oriente Médio, incluídos os países não-árabes. A origem de sua denominação decorre, com toda probabilidade, do verbo árabe Falfala, que significa “condimentar”. Certamente, podemos afirmar que a massa do Falafel contém a mais variada e equilibrada quantidade de condimentos de todos os pratos árabes. O Falafel é consumido a qualquer hora do dia, no desjejum, no almoço, no lanche, no jantar ou simplesmente como petisco. Também se consome como antepasto ou prato de acompanhamento, e com freqüência se reverte num prato básico e único para milhares de famílias, e na verdade, um único sanduíche de Falafel, bem-feito e bem temperado, satisfaz por completo, como uma refeição.

(Trecho do livro Aroma Árabe, de Salah Jamal)

Venha até a nossa unidade da Avenida Ana Costa e experimente esta delícia da tradicional culinária árabe.

As leguminosas e seus benefícios.

Você sabe o que são leguminosas? Para que servem? O quanto devemos comer por dia?

As leguminosas são os grãos produzidos em vagens: feijões, lentilha, grão-de-bico, soja, ervilha, fava e amendoim. Este grupo alimentar deve fazer parte do seu cardápio diariamente.

De acordo com a pirâmide alimentar, devemos comer uma porção deste grupo alimentar todos os dias.

Este grupo alimentar é fonte de proteínas vegetais e apresenta em sua composição carboidratos complexos, fibras, vitaminas do complexo B, minerais como potássio, fósforo, magnésio, zinco, ferro, cálcio e pouca quantidade de colesterol e sódio.

Embora as leguminosas possuam grande quantidade de ferro, um mineral importantíssimo para o corpo humano, o ferro presente nos alimentos deste grupo alimentar é de baixa disponibilidade, sendo indicado consumi-los em conjunto algum alimento, fonte de vitamina C (frutas cítricas, como: laranja, acerola, morango, goiaba, etc.), para que assim aumente absorção deste mineral.

As leguminosas possuem fibras solúveis e insolúveis, que colaboram para um bom trabalho intestinal e contribuem para o controle dos níveis de colesterol no sangue. Além disso, este grupo alimentar tem baixo índice glicêmico, o que indica mais saciedade.

Podemos encontrar também nas leguminosas, principalmente na soja, as isoflavonas, substância antioxidante, que como revelam alguns estudos, podem reduzir os níveis de colesterol, diminuir o risco de doenças cardiovasculares e equilibrar o hormônio feminino estrógeno, minimizando os sintomas da menopausa.

Saiba a seguir, um pouco mais sobre cada leguminosa:

Feijão: há muitos tipos de feijões, entre eles podemos citar: feijão-de-corda, feijão preto, roxinho, rosinha, branco, mulatinho, verde e outros. Podem ser preparados como saladas, massa para acarajé, feijoada, apenas cozidos e acompanhados de o arroz tradicional, tornando-se uma mistura muito nutritiva. O valor calórico deste grão pode variar, de acordo com o tipo de feijão e a preparação.

Lentilha: a lentilha é um grão muito saboroso, mas é muito importante ter cuidado com os ingredientes utilizados em sua preparação culinária, pois muitos acrescentam paio, lingüiça, bacon, tornando-a um prato muito calórico. Pode ser servida quente ou fria, em saladas, com arroz ou em sopas. Uma concha média de lentilha cozida fornece 105 kcal.

Grão-de-bico: este grão pode ser consumido como salada, acrescentado em cozidos, sopas, etc. Uma colher de sopa do grão-de-bico cozido fornece aproximadamente 30 kcal.

Soja: atualmente este é o grão mais estudado por muitos pesquisadores, pois possui inúmeras propriedades funcionais. Pode ser consumido como salada, acrescentado em sopas, cozidos, torrado, etc. Sua farinha pode ser ingredientes de bolos, tortas e biscoitos. A partir do grão podemos ter os seus derivados, como extrato leitoso (conhecido como leite de soja), queijo, farinha, proteína texturizada, conhecida como carne de soja, etc. Uma colher de sopa do grão cozido fornece em média 32 kcal.

Ervilha: pode ser consumida seca ou verde; temos ainda ervilha em vagem conhecida como ervilha torta e a ervilha em grão. Encontramos em forma de salada, em recheios de forma geral, em omeletes, sopas e cremes, etc. Uma colher de sopa da ervilha em grão tem em média 18 kcal e 1 colher de sopa da ervilha em vagem cozida fornece 43 kcal.

Fava: também conhecida como feijão-fava, quando verde é considerada uma hortaliça, depois de seca é uma leguminosa. É utilizada para o preparo de saladas ou acompanhada de arroz e cozida. Uma colher de sopa tem aproximadamente 67 kcal.

Amendoim: apesar de pertencer ao grupo das leguminosas, apresenta maior teor de gordura, por isso, muito cuidado na quantidade a ser consumida. Utilizado em muitas preparações, como pé-de-moleque, paçoca, torrado salgado e doce, pasta, acrescido no frango xadrez, vatapá, cozidos e outras preparações. Uma colher de sopa de amendoim inteiro, cru tem em média 112 kcal.

Agora que você já conhece um pouco de cada leguminosa e suas propriedades, consuma todos os dias e varie bastante nos tipos e preparações, elaborando sempre pratos saudáveis e equilibrados.

O bom filho à casa torna.

Falando de Kebab, achamos este link do blog “Teste bar” que fala principalmente sobre os nossos Kebabs.

Pelo visto, o jornalista era um cliente que muito frequentou nossa casa em tardes de cinemas Iporanga e Roxy, e agora rendeu-se as novidades desta nova fase do Beduíno Ana Costa.

Deixo pra vocês o teste com ênfase a estes deliciosos pratos.

Ao Teste Bar o nosso obrigado e voltem sempre!

http://testebar.blogspot.com/2011/08/testebar-beduino.html

 

50 anos dos Beatles em Exposição

A partir do dia 17 de março, o Miramar Shopping receberá uma exposição inusitada a Baixada Santista.

Os apaixonados por música vão prestigiar a mostra “Beatles, 50 anos” que traz a trajetória,detalhes da carreira e objetos originais da banda de rock que mudou a história da música. Um bom motivo para um programa, almoço no Beduíno, exposição e um cineminha.

O Miramar Shopping em parceria com o fã-clube Revolution, único na América Latina e reconhecido pelos Beatles traz pela primeira vez a baixada esta coleção composta por itens raros da banda desde 1963. Entre as peças, estão um contrabaixo Hofner original autografado por Paul McCartney, o disco de ouro da música “She Loves You” lançada em 1963, fotos e autógrafos dos integrantes, além de relógios e revistas com a marca da banda britânica. Os beatlemaníacos também poderão comprar produtos exclusivos da marca Beatles.

A exposição “Beatles, 50 anos” é aberta ao público e acontece de 17 de março até o dia 08 de abril, no 1º piso do shopping. O horário de funcionamento é de segunda a sábado, das 10 às 22 horas, e domingos, a partir do meio-dia.

Ilustração de Gustavo Antelmi para www.clubeminimim.com.br

Falafel e Caipirinha


Tudo começou com um apelo despretencioso de uma cliente e amiga, que estava com “desejo” de tomar uma caipirinha. Como sempre, cheio de surpresas, Paulinho nos conta que seu Barman já foi consagrado campeão em um torneio de Bartenders com a melhor caipirinha. Pedido feito, pedido realizado! Uma espetacular caipirinha de Manga aparece na mesa, e pra coroar, uma degustação de Falafel com molho Taratour e pikles. Olha amigo…..é algo que depois da primeira vez, você nunca mais esquece. Muto bom! – Disse a amiga! Por isso, resolvemos apresentar essa combinação aos clientes. Muitas opções, nos fazem passar despercebidos a maravilhas como essas!  Bolinhos fritos de grão de bico e fava, acompanhados do tradicional drink que tem tudo a ver com o Carnaval, com a Páscoa, Dia das Mães, Namorados, combina com todos os dias. Aproveite a dica e experimente!

As melhores para quem quer!

Como a tudo cabe um julgamento. Esse, diz respeito a você que tem que estar saudável buscando através de “receitas de viver bem” soluções para melhorar a cada dia. O Pódio das Frutas é uma grande fonte para o dia a dia de quem precisa de um pouquinho a mais de energia. Durante e mês, publicaremos periódicamente o Perfil individual de algumas frutas da nossa cultura.

Vamos as vencedoras:

As mais energéticas: açaí (495 kcal em 1 tigela pequena), abacate (235 kcal em 1/2 unidades), caqui (90 kcal por unidade) e figo (90 kcal por 3 unidades)

As menos energéticas: melão (20 kcal em 1 fatia) e pêssego (25 kcal em 1 unidade)

As mais ricas em fibras: açaí (35 g em uma tigela pequena) e goiaba (10 g em 1 unidade)

As mais ricas em carotenóides: manga (3600 mcg em 1 unidade), caqui (1800 mcg em 1 unidade)

As mais ricas em vitamina E: abacate (230 mg em 1/2 unidade), açaí (90 mg em 1 tigela pequena)

As mais ricas em potássio: banana (350 mg em 1 unidade) e uva (296 mg em 1 xícara)

As mais ricas em vitamina C: goiaba (370 mg em 1 unidade) e morango (110 mg em 1 xícara)

As mais ricas em cálcio: açaí (236 mg em 1 tigela pequena) e tangerina (40 mg em 1 unidade)

As mais ricas em magnésio: abacate (100 mg em 1/2 unidade) e banana (30 mg em 1 unidade)

As mais ricas em ferro: açaí (25 mg em 1 tigela pequena) e amora (5 mg em 1 copo médio)

Cultura – Culinária Árabe

Na cultura árabe, a comida representa uma importante base para a comunicação, e as refeições são o centro dos encontros familiares e círculos sociais.

A variedade de sua culinária é enorme e, embora não exista, de fato, o que denominamos de “cozinha árabe”, por tratar-se de vários países árabes, podemos descobrir a riqueza e a peculiaridade dessas diversas cozinhas que imprimem suas tradições e História na gastronomia da região. Um bom exemplo disso, é o carneiro assado da Arábia Saudita, que é resultado claro dos hábitos dos beduínos nômades dedicados ao pastoreio.

Se voltarmos no tempo e percorrermos a História da culinária árabe, saberemos, por exemplo, por que os povos dessa região têm na carne a base de sua alimentação, enquanto outros alimentos são consumidos em menor proporção, como as frutas frescas e hortaliças, ou, como os peixes ou frutos do mar, são muito raros em suas mesas.

Entretanto, nos países islâmicos, por princípio religioso, o consumo de carne suína é proibido, de forma que, na totalidade das cozinhas árabes, a carne de porco jamais é utilizada. O álcool, também, é proibição rígida do Alcorão, o que, naturalmente, tem efeitos na cozinha árabe, onde todos os pratos são preparados sem álcool.

Encontraremos, também, o leite de cabra e de camelo e o gosto pelas especiarias, como acontece na elaboração da kafta, um tipo de almôndega, aromatizada com elas. A introdução das especiarias na cozinha árabe é resultado direto do comércio que eles faziam no Mediterrâneo e lembram a intensa atividade comercial de uma época.

E é o sabor desses temperos, incorporados em sua cultura culinária ao longo dos tempos, que lhes confere a fama de cozinha aromática. Mas não apenas aromática, também de cozinha visual, que desperta o paladar no alegre colorido de seus pratos, além dos deliciosos aromas. Tudo isso, resultado da utilização de ervas frescas, como  salsa,  hortelã, coentro, alecrim, de condimentos como açafrão, noz moscada e canela, ou outros mais picantes como a harissa – uma pasta feita de pimenta malagueta, muito utilizada em receitas árabes.

Os doces, elaboradíssimos, são geralmente feitos de nozes, amêndoas, frutas secas e mel, e aromatizados com deliciosas essências, como a de rosas e a de flor de laranja, que evocam as “mil e uma noites”. Em alguns países, ainda são usadas as flores de laranja para aromatizar a água que servirá à preparação de pratos.

Comparados à maioria dos doces ocidentais, a doçaria árabe é bem mais acentuada no açúcar, mas cai bem no gosto dos brasileiros, pois se semelham na doçura à confeitaria portuguesa e às nossas compotas regionais e doces de fazenda. Uma iguaria da doçaria árabe muito conhecida no mundo inteiro é a Baklava, torta de massa folhada de origem turca.

A importância dos grãos na culinária da região é enorme. Muitos pratos árabes, alguns deles muito conhecidos de nós, são à base deles, como o já citado falafel e o homus, feito com a pasta de grão-de-bico.

Já o peixe não representa um papel importante na cozinha árabe, pois esse tipo de alimento, sensível, se deteriora extremamente fácil no deserto quente. Somente em regiões ao longo das águas (Golfo Pérsico, Mediterrâneo, Nilo, Mar Vermelho, Oceano Índico) os peixes passam a ter significado.

Tradicionalmente, o pão é consumido em todos os países árabes, servindo, muitas vezes, não só como parte da refeição, mas, também, como substituto do talher. Com ele são pegas, em porções, as comidas degustadas, os molhos são absorvidos e os pratos esvaziados. O trigo,  também, é base para outras iguarias da culinária árabe: o cuscuz (couscous) do Norte da África e o bulgur, que no Brasil familiarmente, chamamos de “trigo para quibe”. Ambos, semelhantes no formato, sabor e forma de produção. O couscous é, talvez, uma das mais conhecidas iguarias árabes, produzido com semolina moída e úmida, de trigo, cevada ou milho.

Embora as bebidas alcoólicas sejam proibidas, o Iraque tem tradição milenar no preparo da cerveja, inventada ali, quando aquela região era chamada de Mesopotâmia, e, até bem pouco tempo, mantinham muitas cervejarias artesanais.

Virgínia Brandão

 

Espanha – Tradição secular em gastronomia.

 

 

 

 

 

 

 

Para quem gosta de tradição, o restaurante mais antigo do mundo está de portas abertas em Madri. O Botin foi fundado em 1725 e permanece com todas as suas características e charme daquela época.

Uma maravilhosa carta de vinhos e uma variedade de assados incríveis, com destaques aos leitões de Segóvia entre outras maravilhas da culinária tradicional espanhola.
Aproveite para visitar a cozinha e os seus andares. Mas atenção que a casa fecha as 16:00 horas para o almoço.

 

 

 

 

 

 

 

Conheça mais: em http://www.botin.es/web/?q=pt

Outro endereço com uma visita comentada em:

http://viverparacomer.blogspot.com/2011/06/botin-o-restaurante-mais-antigo-do.html

Nem só de pirâmides vive o Egito.

 

 

 

 

 

 

Hurghada é uma cidade turística do Egito, localizada às margens do Mar Vermelho, que atrai os turistas pelas belas praias azuis cristalinas e a rica vida marinha.

Ganhou o nome da árvore Algrdq (Lycium), já que é comum as cidades do deserto serem denominadas de acordo com plantas e arvores da sua região.

Surgiu no início do século XX como uma pequena vila de pescadores e começou a crescer após a descoberta de petróleo na região em 1913, mas o ‘boom’ turístico ocorreu no início dos anos oitenta quando ganhou a fama por ser excelente para os entusiastas em mergulho. Duas décadas depois se tornou uma das mais importantes cidades turísticas do Egito.

 

 

 

 

 

 

 

A diversão em Hurghada é garantida lá é possível praticar o esqui aquático, a pesca e o mergulho nas suas águas quentes ricas em raros peixes e corais. Tudo isso tornou a cidade uma das mais importantes para o mergulho no mundo, ganhando um aeroporto internacional e grande investimento em infra-estrutura para melhorar a experiência turística.

Alem da paisagem paradisíaca, que mistura o deserto com as maravilhosas praias, a dica é que o turista pode viver um pouco de história ao visitar ruínas romanas há 65Km ao norte do local na montanha da fumaça (AL-dukhan) ou, para quem não é chegado em mergulho, é possível visitar o aquário da cidade que contem um pouco da vida marítima da região.

Tabule, um rico alimento.

Além de muito nutritiva, o tabule é um prato árabe que se encaixa muito bem a cultura brasileira. É leve, colorido, feito com ingredientes naturais, proporciona muitas vantagens. Veja quais são as vitaminas contidas em cada ingrediente desta tradicional receita árabe.

Trigo para quibe: Rico em vitaminas do complexo B que são essenciais para o funcionamento adequado do sistema nervoso e digestório, importantes para o cabelo, pele, unhas, ossos e dentes. Fonte de fibras que ajudam no melhor funcionamento do intestino e redução de colesterol e glicose sanguíneos. Contém também potassio, fosforo, cálcio, magnésio, selênio, manganes e um pouco de ferro.

Tomate: Além do licopeno, que previne câncer de prostata. Contém quase todas as vitaminas e minerais em grande quantidade e poucas calorias (alguns nutricionista liberam o tomate para ser consumido à vontante por sua baixa concentração calorica).

Pepino: Rico em minerais como potassio, cálcio e selênio e ainda em vitamina C e ácido fólico.

Pimentão verde: Contém vitamina A, vitamina C e ácido fólico e minerais como potassio, fosforo, magnésio e calcio. Outr fator importante é que usando o pimentão você pode reuzir a quantidade de sal da preparação já que ele dá sabor ao alimento o que faz com que o prato fique bem mais saudpavel.

Alface lisa: É comum as pessoas pensarem que a alface não contém vitaminas por seu sabor suave, mas estas se enganam, pois contém ácido fólico, vitamina C, iodo, potassio, fosforo, e até um pouco de ferro e calcio.

Cebola: Além do ótimo sabor que oferece à preparação possibilitanto a redução do acrescimo de sal contém vitamina C, iodo, potássio, fosforo além de propriedades terapeuticas.

Hortelã: Ela dá um toque especial ao tabule e contém vitamina C, niacina,vitamina B1, ácido fólico, vitamina B2, vitamina E, potassio, sódio, fosforo, cálcio, ferro e manganês.

Limão: Importantissima fonte de vitamina C que melhora a absorção de ferro proveniente de fontes vegetais.

Azeite: É importante se certificar que o azeite é o extra virgem, pois esta é sua forma pura, os outro são acrescidos de outros óleos vegetais. O azeite é uma ótima fonte de ômega 3 um antiinflamatorio que previne doenças cardiovasculares além de contrinuir para o funcionamento do cérebero, memória, concentração e mais.

Sal: é importante moderar a quantidade de sal. Em excesso o sal por delvar a problemas cardiovasculares como a hipertensão arterial (pressão alta) e prejudica também os rins. A receita leva varios igredientes que proporcionam um “salgadinho” a preparação e você ainda pode acrescentar o alecrim que além de tempero contém vitamina A, C e algus minerais.

Agora você já sabe o quanto o tabule pode fazer bem para sua saúde, desejamos a você uma ótima refeição!